Eu não gosto de futebol…

Obviamente não jogo, nem assisto e nada acompanho sobre o assunto, logo nada entendo. Nunca vesti uma camisa de time. Torcer? Nem pensar! Nunca comprei uma bola. Nem saberia o que fazer com ela. Não conheço nenhum jogador profissional, nem convivo com amadores. Se ouço alguém falando sobre o campeonato tal, sobre jogador fulano de tal e sobre o resultado de uma final – tudo para mim é grego.

Sendo assim…

1) Posso eu, opinar sobre futebol?

– Posso!

2) Terá minha opinião algum valor?

– Dificilmente! Talvez tenha para aqueles poucos que já pensam da mesma forma que eu, dos quais compartilhamos os ecos uns dos outros, repetindo as mesmas ideias.
Mas para aqueles que vivem o futebol, que têm ele como essência, eu seria apenas um imbecil que coloca a própria ignorância acima da razão, me auto condenando a uma vergonha do qual não sou capaz de enxergar.

3) Posso ir além de uma mera opinião (subjetiva, superficial e fundamentada em gosto), e fazer uma análise crítica do esporte?

– Não sem antes me aprofundar no tema. Seria preciso compreender o jogo. Compreender é trazer para dentro de si. É mergulhar de cabeça no assunto e tentar, pelo menos, caminhar na direção em que os experts se encontram. Eu teria que assistir os jogos e os programas esportivos, ler as notícias, ouvir as entrevistas, sentar numa arquibancada e, mesmo não gostando, ver como a torcida se comporta. Talvez então, percebendo as sutilezas do jogo, as diferenças entre os times, torcidas e campeonatos, encontrar um time com o qual me identifique, torcer por ele, conhecer a sua história, seus heróis e mitos.

Então, só assim, talvez, eu poderia ter uma opinião válida. Mas ainda não seria uma análise crítica. Para isso eu precisaria de mais estudo, mais tempo, mais conhecimento técnico. Talvez até, quem sabe, um pouco de experiência. Jogar de forma amadora. Trabalhar para um time. Meu currículo ganharia mais respeito entre aqueles que antes só me conheciam pela minha mera opinião.

Sem modéstia eu me consideraria pronto, um daqueles experts, agora mandando um ignorante calar a boca. Com modéstia eu continuaria meus estudos, apenas me expressando sobre o tema e não sobre quem fala merda sobre ele, pois para falar sobre ignorantes eu teria que estudar outras coisas, antropologia talvez, ou psicologia ou mesmo filosofia.

Compartilhe:
Marcado com , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *